Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala Virtual Acadêmica A ABORDAGEM DAS VARIEDADES LINGUÍSTICAS: UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA E NO ORKUT COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

A ABORDAGEM DAS VARIEDADES LINGUÍSTICAS: UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA E NO ORKUT COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

File A ABORDAGEM DAS VARIEDADES LINGUÍSTICAS: UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA E NO ORKUT COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO
RESUMO DA AUTORA: Esta pesquisa analisa as idiossincrasias sobre língua e linguagem de alunos do Ensino Médio, antes, durante e depois da abordagem do conteúdo variedades linguísticas, ao levar em consideração pressupostos sociolinguísticos estudados a partir de Labov (1972), que atuam positivamente na formação do aluno ciente da concepção de língua heterogênea e plural, a depender de fatores socioculturais. Na conjuntura de uma abordagem de conteúdo, da sala de aula e de novas possibilidades de mediação do ensino e da aprendizagem, este estudo apresenta as etapas e o resultado da experiência, a partir de uma mostra com dois grupos compostos cada um de oito alunos de uma escola da rede pública estadual de ensino de Maceió. Por meio de uma metodologia mista de pesquisa do tipo experimental, ao utilizar pré-teste e pós-teste, investigamos estratégias de abordagem de conceitos sobre variação linguística em interface com a cibercultura e sua viabilidade para sensibilizar os alunos sobre a importância do respeito às variedades linguísticas. O corpus analisado constou de questionários, observação participante de aulas de língua portuguesa; gravação de turnos conversacionais e mensagens postadas pelos alunos no Orkut. A partir dos dados coletados, analisamos os conceitos de língua de dois grupos de alunos (grupo de controle e experimental) e comparamos o seu desempenho na apreensão de novos conceitos, a fim de verificar em qual deles (de controle ou experimental) ocorreu de forma mais efetiva. Os resultados revelam que os alunos do grupo B (experimental) passaram a utilizar uma terminologia menos vinculada ao senso comum ao referir os novos conceitos apreendidos; demonstrou compreender a diferença entre variedades linguísticas e norma-padrão e apresentou proposta de combate ao preconceito linguístico. Antes das atividades, o préteste revelou que os alunos desconheciam esse tipo de preconceito. Concluímos que o fato de os alunos participarem do Orkut na perspectiva de ensino e aprendizagem provocou o interesse deles pelas leituras sobre o assunto estudado.
Ações do documento