Notícia

EDUCAÇÃO

Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Terça, 09 Março 2021 18:53
ANO LETIVO 2021

Em AL, rede estadual prioriza recuperação de conteúdos e segurança da comunidade escolar

Em AL, rede estadual prioriza recuperação de conteúdos e segurança da comunidade escolar

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Aulas começam em formato remoto em todo o estado Aulas começam em formato remoto em todo o estado Thiago Ataíde
Texto de Ana Paula Lins e Manuella Nobre

As aulas da rede estadual de Alagoas começam nesta quarta-feira (10) em formato remoto para as 310 unidades de ensino espalhadas em todo o estado. 
 
A medida, estabelecida por meio da portaria 3019/2021, publicada em 26 de fevereiro no Diário Oficial do Estado (DOE), prima pela segurança da comunidade escolar em face ao aumento de contágios da Covid-19, como também pela garantia dos direitos de aprendizagem dos estudantes alagoanos.
 
O cronograma da rede estadual não foi afetado pelo decreto anunciado pelo governador Renan Filho, no último dia 07, onde o estado de Alagoas alterou fases do Plano de Distanciamento Social Controlado. 
 
Na rede particular, as aulas permanecem no formato híbrido, enquanto as redes municipais também optaram por adotar um sistema remoto.
“As escolas privadas continuarão funcionando de forma híbrida, enquanto as estaduais e municipais permanecem no sistema remoto, como já vem acontecendo desde o ano passado. No entanto, será um sistema remoto com ganhos, visto que a experiência de 2020 nos permitirá melhorar esse modelo”, explicou o secretário de Estado da Educação, Fábio Guedes, após reunião virtual com prefeitos e secretários municipais de Educação.
 
Secretário Fábio Guedes diz que modelo remoto é o mais seguro no momento Fotos Thiago Ataide 19 1
 
Guedes disse ainda que, se uma rede municipal entender que é possível retornar às aulas em um formato híbrido, a autonomia da gestão municipal será respeitada, mas, que, atualmente, a opção pelo modelo remoto é a mais segura. 
 
“Estamos em um momento de elevado risco e só quando Alagoas sair das fases laranja e vermelha é que teremos um ambiente favorável para voltarmos em um sistema híbrido”, pontuou o secretário.
 
Na rede estadual, o avanço para o formato híbrido e presencial só se concretizará quando o cenário da Covid-19 em Alagoas for favorável, tendo como base as avaliações das autoridades sanitárias.
 
Aulas avançarão para formato híbrido presencial quando condiççoes sanitárias permitirem foto Thiago Ataíde
 
Adequação – As aulas da rede estadual acontecerão por meio de laboratórios de aprendizagem - onde os professores trabalham de forma interdisciplinar, integrando várias disciplinas e roteiros de estudos -, com instruções para o trabalho quinzenal dos estudantes, para as turmas do 1º ano do ensino fundamental até a 2ª série do ensino médio. Já as turmas da 3ª série do ensino médio participarão do Foca no Enem, onde terão apoio para se prepararem para a edição 2021 do exame de acesso ao Ensino Superior.
 
Vale ressaltar que, no  ensino remoto, as atividades não precisam ser necessariamente on-line: no ano passado, as escolas forneceram material impresso para os estudantes que não tinham acesso à internet.  Também foram adotadas diversas estratégias de busca ativa para alcançar alunos que moravam em áreas de difícil acesso ou que haviam evadido da escola.
 
Enquanto as atividades acontecem no formato remoto, o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), também tramita com dois processos: um de descentralização de recursos, que permitirá às escolas comprarem insumos, como álcool gel e tapetes sanitizantes e adequarem sua estrutura para o atendimento no sistema híbrido; e outro de apoio tecnológico para estudantes e professores.
 
Aulas começam em formato remoto em todo o estoad foto Thiago Henrique 12
 
Organização do calendário- As escolas cumprirão um calendário de 200 dias letivos e a organização da oferta da Educação Básica na rede estadual se dará na perspectiva do Ciclo Emergencial Continuum Curricular, onde serão trabalhadas as aprendizagens não alcançadas em 2020.
 
Para identificar quais são as necessidades dos estudantes da rede, a portaria do ano letivo 2021 estabelece, no artigo 35, a aplicação de uma avaliação diagnóstica que “deverá identificar as habilidades efetivamente consolidadas, no ano letivo de 2020, bem como aquelas que devem ser retomadas e/ou aprofundadas, no ano letivo de 2021”.
 
Secretário executivo José Márcio explica que rede estadual será submetida a avaliação diagnóstica foto Thiago Ataíde
 
“A partir de 10 de março, toda a rede estadual será submetida a um grande processo de avaliação diagnóstica, onde vamos identificar os objetivos educacionais, as metas e os conteúdos que não foram atingidos em 2020. A partir desse diagnóstico, vamos desenvolver um conjunto de atividades complementares que serão ministradas paralelamente ao conteúdo regular do ano letivo 2021”, adianta o secretário executivo da Educação, José Márcio de Oliveira.
 
O Continuum Curricular só não contempla os estudantes concluintes do ensino médio em 2020. No caso deste grupo, a Seduc fará uma consulta para ver se estes têm interesse em participar de atividades pedagógicas suplementares ao ano letivo 2021, tais como ações de apoio para o Enem 2021 ou de empreendedorismo social.