Notícia

EDUCAÇÃO

Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Quinta, 11 Julho 2019 21:22
INTERCÂMBIO

Professores da rede estadual participam de capacitação em língua inglesa nos EUA

Alex Tenório e Gilvoneide Ramos, ambos de Arapiraca, foram selecionados para o Programa Fullbright

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Gilvoneide e Alex foram selecionados para representar AL Gilvoneide e Alex foram selecionados para representar AL Foto de José Arnaldo e Acervo Pessoal
Texto de José Arnaldo

Estudar nos Estados Unidos e ter contato com outras culturas. O sonho de muitos se tornou realidade para dois professores de língua inglesa do ensino médio da rede estadual.Alex Tenório Cavalcante, da Estadual José Quintela Cavalcante e Gilvoneide Ramos da Silva, da Estadual Antônia Izaura de Lisboa, ambos de Arapiraca, foram selecionados pelo Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Língua Inglesa (Fulbright Distinguished Awards in Teaching Program for International Teachers– DAI).

Uma iniciativa do Departamento de Estado dos Estados Unidos e que conta com a parceria das secretarias estaduais de Educação, o Fullbright seleciona professores de Inglês da rede pública brasileira que atuem no ensino médio para um curso de aperfeiçoamento nos Estados Unidos com todas as despesas pagas. Desde 28 de junho, Alex e Gilvoneide participam de um aperfeiçoamento na Universidade de Iowa, na cidade de Ames, no estado de Iowa, onde permanecerão 45 dias.

Alex e Gilvoneide participam de intercâmbio nos EUA foto acervo pessoal

Entre os requisitos para conseguir a vaga, estão: possuir bacharelado ou licenciatura em Inglês, ter fluência oral e escrita na língua e comprovação de proficiência, ter ao menos cinco anos de experiência comprovada em sala da aula e mais de dois anos como professor de inglês. Também é preciso estar com 50% da carga horária de trabalho atual lecionando o idioma na rede pública e passar por prova. Além de treinamento intensivo em metodologias de ensino, planejamento de aula, estratégias de ensino, liderança e também no uso de tecnologias em educação, os professores terão um contato com a cultura norte-americana.

Além de Alagoas, professores dos estados doAcre, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul,Santa Catarina eSergipe participaram do intercâmbio.

Experiência enriquecedora – Os dois educadores alagoanos destacam o esforço para conseguir a vaga e os benefícios que essa experiência trará para suas práticas. "Era um grande sonho poder fazer esse aperfeiçoamento. Em todo momento tivemos o apoio da Secretaria de Estado da Educação [Seduc]. Quando você leciona o idioma na sala de aula, é muito diferente da vivência no país, entre nativos. Espero aprender muito sobre a cultura norte-americana. Quando voltar, quero passar para os alunos um pouco da minha vivência ", explica Gilvoneide.

Gilvoneide e Alex foram selecionados para representar AL foto José Arnaldo 1

Alex tem a mesma sensação. "Eu fiquei muito feliz, porque não é fácil passar nesta seleção, são poucas vagas. Vamos melhorar o nosso inglês tanto para ensinar, quanto para falar, uma oportunidade que inspira os alunos. Fico muito feliz por ter participado desse processo e o apoio dado pela Seduc. Sem isso, não seria possível esse intercâmbio", lembra o professor.

Sandra Felisberto destaca benefícios do programa foto José Arnaldo 2

Sandra Felisberto, técnica da Supervisão de Integração Escola Comunidade da Seduc e responsável pelo programa em Alagoas, conta que aproximadamente 20 professores alagoanos já participaram o programa. Para ela, fazer um curso de inglês em um local onde o idioma é nativo é o gratificante.

"É uma experiência que muda o profissional, ele se enriquece de conhecimento. Por meio desse programa, eles conhecem metodologias de professores do mundo inteiro. Eles aprenderão métodos dos outros países e também poderão passar o método brasileiro para eles. Podemos viabilizar, junto à Seduc e o Governo do Estado, todos os trâmites para que os servidores possam viajar", explica Sandra.