Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Comunicação Sala de Imprensa Secretaria articula plano de metas da Educação junto ao Banco Mundial
19/06/2012 - 13h34m

Secretaria articula plano de metas da Educação junto ao Banco Mundial

Projeto vai custear e monitorar ações da SEE para melhorias na Educação Básica

Secretaria articula plano de metas da Educação junto ao Banco Mundial

Reunião foi realizada na sede da Seplande

Texto: Ascom SEE

Foto: Valdir Rocha

Nesta terça-feira (19), reunião entre as secretarias de Estado da Educação e do Esporte (SEE) e Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplande) com o Banco Mundial discutiu ajustes no orçamento final e definição e implementação do plano de ações para a Educação do Estado. A consultora do Banco Mundial para os projetos da Educação, Madalena Santos, participou das reuniões para articular os detalhes.

Estimado em 27 milhões de dólares, o projeto da SEE/AL envolve metas que vão, sobretudo, expandir e melhorar a Educação Básica no Estado. Entre as ações futuras, a pasta vai investir na oferta e melhoria de qualidade da Educação Básica; no fortalecimento da gestão das escolas e do sistema Educativo; na reabilitação das Coordenadorias Regionais de Educação e treinamento dos funcionários e na revitalização do Sistema Estadual de Avaliação (Saveal).

Apoio do Banco Mundial - De acordo com a consultora Madalena Santos, a atuação do Banco Mundial não inclui apenas o apoio financeiro, mas o apoio técnico e o monitoramento de todas as políticas públicas implementadas no Estado.

  “O Banco não apenas tem o compromisso de ceder os recursos para custear as ações. Ele vai além, acompanhando os projetos da Educação, da Saúde, da Assistência Social, promovendo uma integração e trabalhando para obter o resultado esperado”, reforça.

Tércio Alexandre Silva, coordenador de Planejamento e Orçamento da SEE/AL, enfatiza que a parceria com o Banco Mundial vai ser primordial para que a Educação do Estado promova as melhorias que há muito eram necessárias.

“Por falta de recursos, algumas mudanças precisaram ser adiadas. O apoio financeiro e técnico do Banco Mundial será imprescindível neste primeiro momento”, afirma Tércio.

Também estiveram presentes à reunião os representantes da Gestão de Recursos Financeiros da Seplande, Márcia Camelo e Fred Ferreira, além de Laudo Bernardes, consultor do Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG).

Ações do documento